Projeto Contraste: fazendo a diferença!

por: Daliane Fátima de Azevedo

É na escola que enriquecemos o processo de ensino e de aprendizagem, complementando o trabalho em sala de aula e proporcionando uma compreensão mais aprofundada dos conteúdos abordados pelas matérias, uma vez que permite relacionar teoria e prática.

 

O projeto Contraste foi criado há quatro anos, no Centro Educacional Khalil Zaher, em Rondonópolis (MT), onde leciono Língua Portuguesa. O objetivo é incentivar o trabalho social que os alunos, como cidadãos, devem assumir o quanto antes em suas vidas. Essa conscientização social é fruto do trabalho interdisciplinar, língua portuguesa, artes, educação física e a escola da inteligência, que, além dos conteúdos previstos na disciplina, também ensina conceitos de cidadania aos estudantes, por meio deste projeto.

 

As ações de voluntariado educativo diferem-se de outros projetos curriculares, pois têm a intenção de envolver uma prática social que deve partir da necessidade sentida pelas escolas, professores e alunos para intervir e promover a transformação da realidade local. O projeto conta com leituras, escritas e debates voltados à desigualdade social e, com isso, levantamos possíveis ideias para amenizar os problemas citados por eles.

 

Para colocar o projeto em prática, visitamos creches municipais da cidade, levando entretenimento para as crianças carentes, como teatro, contação de histórias e pinturas faciais. Também levamos vários brinquedos dos quais crianças da creche muitas vezes não têm acesso.
Inicio apresentando o bairro aos meus alunos. Uma das motivações para o projeto foi perceber que alguns dos alunos não tinham conhecimento sobre a desigualdade social e como funcionavam os bairros economicamente mais pobres.

Neste ano, visitamos o Centro Municipal de Educação Infantil Professor Giovanni Gomes Moreira, que atende mais de 220 crianças no bairro Ana Carla I, em Rondonópolis (MT). Levaram teatro, pinturas, contação de histórias, quitutes saborosos, recreação, muita diversão e, principalmente, AMOR!

 

A diretora da CEMEI, Alessandra Nascimento que, juntamente à sua equipe, recebeu os nossos alunos com muito carinho. Mas pode ter certeza que que ganha mais como projeto são os próprios, que aprendem a valorizar mais o que têm e a respeitar a cultura e vivência de outros povos.

 

Afinal, o projeto trabalha as diferenças sociais, culturais, étnicas, raciais e religiosas. Desde cedo, é necessário, aprendermos a mudar e a lidar com algumas situações que presenciamos no cotidiano. Assim, é de extrema importância essa integração e interação do discente com os problemas sociais.

Receba nossa News

A Educação é feita da união de conhecimentos. Preencha seu e-mail e receba nossos conteúdos atualizados!

*Não lote sua caixa de e-mail. Nossas newsletters são enviadas quinzenalmente e trazem um resumo dos melhores conteúdos publicados.