Os percursos da criação artística poética em sala

por: Iasmin Oliveira

Ao analisar as propostas de trabalho geradas em uma aula de artes é possível se deparar com pelo menos três tipos de atuação pedagógica: professores centrados em técnica, com suas propostas previamente determinadas, aplicando seus conhecimentos de como e o que fazer, professores que trabalham a criação de aulas juntamente com seus alunos, moldando sua proposta de acordo com as respostas recebidas por eles; e professores que trabalham sem uma preocupação excessiva em se prender a planos pré estabelecidos, mas atento às necessidades geradas no dia a dia em sala de aula.
As diferentes formas de trabalho do artista-educador proporcionam aos alunos possibilidades variadas de caminhos a serem percorridos. Dentre essas formas não cabe dizer a melhor ou pior, pois cada uma possui pontos positivos e colabora para uma diversidade de condução do trabalho rica e frutífera. Mas para que isto se dê de forma efetiva é preciso um olhar atento e aberto para a participação dos alunos, respeitando seus direitos e atuação na construção dos projetos.
Os alunos não são apenas seres em transformação, são principalmente mentes criativas, que têm outras linguagens para se expressar, o que proporciona ao artista-educador uma enorme possibilidade de fazeres artísticos a serem trabalhados. Afinal, quem melhor para falar de cada universo senão aqueles que o vivenciam? São os alunos as pessoas mais preparadas para fazerem a leitura do seu mundo e expressá-la por meio da dança, artes visuais, música e teatro, ou mesmo da junção de duas ou mais linguagens.
A poética nada mais é do que aquilo que o aluno tem a dizer em arte. Ela pode ser inicialmente conduzida pelo artista-educador, pode mudar no meio do percurso, bem como pode partir dos alunos desde o princípio. A maneira como essa poética ganha forma e a linguagem a ser explorada dependerá dos materiais disponíveis e da relação destes com o tema da mesma. Essa análise deve ser feita em conjunto, não só pelo professor, mas principalmente pelos alunos, para que desta forma estejam apurando seu olhar estético frente aos trabalhos artísticos.
É possível observar portanto que a criação de uma poética em sala de aula é formada a partir de dois pilares: a construção do projeto criativo pelo aluno e a mediação do professor auxiliando durante o processo. Um trabalho artístico-pedagógico que funciona como uma via de mão dupla. Uma construção de saberes compartilhada. É nesse processo que o artista-educador juntamente com os alunos contribuem para a criação de um espaço democrático, aberto ao diálogo, enfrentam dúvidas, dificuldades, desconstroem e reconstroem conceitos, reafirmam ideais, mas principalmente enxergam a beleza do fazer artístico.

Receba nossa News

A Educação é feita da união de conhecimentos. Preencha seu e-mail e receba nossos conteúdos atualizados!

*Não lote sua caixa de e-mail. Nossas newsletters são enviadas quinzenalmente e trazem um resumo dos melhores conteúdos publicados.