Gestão e Jeitinho: um papo sobre educação

por: Sérgio Campelo

– Olá, Sr. Gestão, como vai?

 

– Tudo bem, Seu Jeitinho. E com o senhor?

 

– É, levando, do meu jeito…

 

– E as novidades? Como estão as coisas na escola?

 

– É, daquele jeito, Sr. Gestão. Na minha escola os professores andam muito desmotivados e os alunos cada vez mais desinteressados. E você, como vai na sua escola?

 

– A nossa escola, incluindo professores, alunos e comunidade, está a todo vapor. Estamos aplicando práticas inovadoras com a participação de todos, professores, família e comunidade, para que nosso projeto político pedagógico seja cada vez mais fortalecido.

 

– É, na minha escola estou aplicando aquele jeito tradicional, sabe, Sr. Gestão, o professor explica e o aluno presta atenção. Eu estabeleço as propostas educativas na minha escola e repasso para os professores. E na sua, é você também que dá as ordens, Sr. Gestão?

 

+ Leia mais: O que é a Escola da Ponte?

 

– De jeito nenhum, Seu Jeitinho. Nossas ações educativas não são centralizadoras e não trabalhamos verticalmente, elas são discutidas e desenvolvidas por todos os envolvidos no processo de ensino e aprendizagem, para que as ações sejam adequadas ao contexto social da nossa comunidade e estejam alinhadas às competências e habilidades que nossos alunos precisam adquirir. Aliás, temos sempre como foco do processo educacional a formação do aluno.

 

– Humm, entendi, Sr. Gestão. Quer dizer que os temas utilizados na sala de aula são escolhidos por todos, incluindo os pais dos alunos?

 

– Isso mesmo, Seu Jeitinho. Debatemos com professores e comunidade como serão abordados os conteúdos curriculares e como os temas transversais serão integrados aos eixos temáticos dentro de uma proposta inter e transdisciplinar.

 

– Como assim? Temas Transversais? O que é isso?

 

+ Leia mais: Inclusão escolar – a escola da diferença ou dos diferentes?

 

– Os temas transversais, conforme proposto pelos parâmetros curriculares, tem como objetivo integrar às diversas disciplinas temas fundamentais para o desenvolvimento integral do aluno, como ética, meio ambiente e sexualidade, por exemplo. Dessa forma, Seu Jeitinho, abordamos essas temáticas entre e pelas diversas disciplinas curriculares.

 

– Falando sobre a inserção de novos recursos na sala de aula, tem professores que até propõem a inclusão novas tecnologias, como computadores e celulares, por exemplo. Mas será que isso é importante para o aprendizado dos alunos?

 

– Penso, Sr. Jeitinho, que a utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs), como essas que você citou, devem estar alinhadas com os objetivos do aprendizado. Quando utilizamos as TICs em nossas atividades educacionais pensamos sempre em potencializar o processo de ensino tendo como mediador a figura do professor, que deve estar devidamente capacitado e envolvido com essa linguagem e cultura digital.

 

– Nossa, Sr. Gestão, como dar conta de tudo isso?

 

– O trabalho sempre foi realizado em conjunto. Transformamos a escola um ambiente aberto e agradável para a comunidade. Abrimos a escola até aos fins de semana. Temos a responsabilidade de incentivar nossos docentes a experimentarem novas possibilidades e refletirem constantemente sobre sua prática pedagógica. Como disse anteriormente, um projeto educacional realizado inserindo o aluno como o principal elemento do processo tende a dar certo. Concorda, Seu Jeitinho?

 

– É, Sr. Gestão, na minha escola, só Jesus pra dar jeito, viu!

 

– Ah, Seu Jeitinho. É com muita alegria que estamos entre as melhores escolas segundo os índices de avaliação. Trabalho duro, muita dedicação e comprometimento com os resultados por parte de todos os envolvidos, e o melhor de tudo, Seu Jeitinho: sem nenhum jeitinho.

Receba nossa News

A Educação é feita da união de conhecimentos. Preencha seu e-mail e receba nossos conteúdos atualizados!

*Não lote sua caixa de e-mail. Nossas newsletters são enviadas quinzenalmente e trazem um resumo dos melhores conteúdos publicados.