Como a tecnologia pode estimular o envolvimento estudantil

por: Entretanto

Em 2013, um estudo de um grupo de escolas norte-americanas revelou que, em média, 55% dos alunos que cursam o último ano do ensino médio estão “envolvidos” no processo de aprendizagem, ao passo que 28% não estão e 17% estão, mas não da forma ideal. E para melhorar o número de envolvimento, a tecnologia pode ser uma das soluções mais eficazes;

 

Existe um outro estudo, feito pela Pearson, intitulado Teaching in a Digital Age (Ensinando na Era Digital), cujo desenvolvimento foi feito com muitos parceiros e visa pesquisar estratégias de ensino digital e como elas afetam a aprendizagem do aluno de maneira positiva. Um destes efeitos, relatados por educadores que integram o estudo, é o aumento da intensidade do envolvimento estudantil que ocorre quando a tecnologia está integrada à sala de aula.

 

A tecnologia, como uma ferramenta, auxilia os professores a criarem e a apresentarem o conteúdo e a instrução que for interessante e relevante aos alunos. Quando a aprendizagem é relevante para os alunos, consequentemente, eles se tornam ativos nela. Mas como isso acontece?

 

Com o aumento do acesso aos recursos de aprendizagem, das ferramentas e das informações, os alunos são atraídos por determinado assunto de uma forma mais intensa do que antes. Eles podem até direcionarem a sua própria aprendizagem.

 

Na verdade, quando uma tecnologia é bem implantada, os alunos não apenas aprendem com ela, mas também a criam.

 

Um educador observou: “Quando os alunos têm essa tecnologia, eles podem experimentar e inovar coisas. Quando eles estão com o Photoshop na frente deles, por exemplo, e eu faço a instrução da utilização desta tecnologia, o que eles conseguem criar sempre será completamente, único, diferente. E com isso, eles podem até se tornarem artistas, cineastas ou designers. É como se pudessem assumir muitas funções realmente avançadas, e acredito que isso seja algo que a tecnologia de fato nos proporciona exclusivamente. Ela guia a pessoa através da sua própria e transforma aquilo em algo completamente novo”.

 

Os educadores também observaram a concepção errônea de que os alunos estão envolvidos apenas de forma individual com a tecnologia. Ao invés disso, eles direcionaram e se envolveram de maneira colaborativa com a tecnologia, abrindo espaço para uma participação mais abrangente de todos os envolvidos com as propostas das aulas.

 

A tecnologia abre as portas para ampliar o desenvolvimento da aprendizagem e a finalidade do trabalho do aluno, dando um significado à lição de casa. E com o aumento do envolvimento do aluno, consequentemente, ocorre o aumento da aprendizagem.

 

Existe uma sólida base de pesquisa que descreve como a tecnologia reforça o compromisso e a aprendizagem do aluno. Por exemplo, a aprendizagem ativa está associada à melhora do desempenho acadêmico do aluno (Hake, 1998; Knight & Wood, 2005; Michael, 2006; Freeman, et al., 2007; Chaplin, 2009) e aumentou o envolvimento, o pensamento crítico e melhorou as atitudes do aluno em relação à aprendizagem (O’Dowd & Aguilar-Roca, 2009).

 

Caso a tecnologia apoie os esforços dos professores e foque nas práticas eficazes que envolvam os alunos, teremos, então, mais uma ferramenta para trazer para o jogo da aprendizagem aquela metade dos alunos que, atualmente, não está tão envolvida.

 

Texto originalmente publicado em Pearson.

Esse autor não tem outras matérias publicadas

Receba nossa News

A Educação é feita da união de conhecimentos. Preencha seu e-mail e receba nossos conteúdos atualizados!

*Não lote sua caixa de e-mail. Nossas newsletters são enviadas quinzenalmente e trazem um resumo dos melhores conteúdos publicados.