Alunos no centro da aprendizagem: ferramenta do futuro

por: Entretanto

Uma filosofia de empresa

 

Colocar os alunos no centro de seu trabalho. Nessa primavera, Robin Duffy e sua equipe terão uma nova oportunidade de fazer exatamente isso.

 

“Minha equipe é responsável por executar a pesquisa que dá supporte à criação e ao desenvolvimento do currículo e do material didático da Pearson, desde a pré-escola até a 3ª série do ensino médio, porém,  as ferramentas de aprendizagem e soluções que a Pearson cria são, em última análise, centradas nos alunos. Portanto, é importante abraçarmos a maneira da Pearson de fazer as coisas e envolvermos os alunos em nosso trabalho o máximo que conseguirmos”, diz ela.

 

Um laboratório novinho em folha em Nova Jersey

 

A construção do novo laboratório de pesquisa dentro do escritório da Pearson em Hoboken em Nova Jersey, nos Estados Unidos, está completa.

 

A instalação servirá como uma plataforma para testar a usabilidade do software e para pesquisar a experiência do usuário.

 

As crianças que vierem ao laboratório servirão de parceiros de pesquisa da Pearson, experimentando os produtos educacionais e fornecendo um feedback em tempo real.

 

Neste momento, Robin e sua equipe estão recrutando alunos desde a pré-escola até o terceiro ano do ensino médio para participarem dessa pesquisa.

 

“Procuramos por alunos com todas as habilidades e níveis de realização para pilotar novos produtos e ferramentas educacionais, compartilhando seus pensamentos e ideias com a gente”, diz Robin.

 

Essas atividades de pesquisa poderão incluir entrevistas individuais com os alunos que moram em Nova Jersey e pesquisas on-line (ou grupos de discussão virtuais) para aqueles que participarem remotamente.

 

Os comentários desses alunos ajudarão a Pearson a melhorar suas ferramentas educacionais existentes e também a desenvolverem novas ferramentas.

 

Construindo ferramentas e habilidades ao mesmo tempo

 

Quando os alunos participam de uma pesquisa de produto, eles não estão apenas ajudando no desenvolvimento de ferramentas de aprendizagem, mas também aprendendo as coisas.

 

“Isso incentiva na colaboração, ajuda a aprimorar as habilidades de comunicação e a tomada de decisões e também constrói a confiança e a autoestima. E essas são as mesmas habilidades que eles precisarão na faculdade e em suas carreiras”, reforça Robin.

 

Um modelo testado e verdadeiro

 

O time da Pearson responsável pelo laboratório já viu este modelo de investigação centrado no aluno funcionar antes. Em 2010, a empresa abriu seu primeiro centro de pesquisa em Chandler, no Arizona. E como diz Robin: “ele está florescendo”.

 

“Nossos esforços de recrutamento têm sido extremamente bem sucedidos lá e nós temos uma grande rede de pais e alunos nessa área, que participam da nossa pesquisa de desenvolvimento de produto”.

 

Robin supervisiona aquela unidade de pesquisa e diz que aprendeu algumas lições valiosas com a experiência, principalmente sobre como tornar o processo de estudo da pesquisa transparente para os alunos e seus pais.

 

“Eu também sou mãe, então eu entendo completamente o sentimento de querer saber se seus filhos estão seguros nesse ambiente”.

 

Na unidade de Hoboken, os pais poderão assistir à uma transmissão ao vivo do estudo de seus filhos de dentro de uma sala de conferências, próximos de onde eles estarão. Ou seja: poderão manter os olhos em seus filhos literalmene.

 

A privacidade como prioridade

 

Robin diz que quando se trata desses estudos de pesquisa, a privacidade é tão importante quanto a segurança.  Quando um pai inscreve seus filho para participar da rede de pesquisa, ele só precisa dizer o gênero e a série que a criança está cursando.

 

“Toda a comunicação é feita através dos pais, não importa se o filho tem 4 ou 17 anos”, diz Robin. “Nós nunca entraremos em contato diretamente com uma criança”.

 

Se os pais optarem por seu filho participar do estudo, eles assinam o termo de autorização previamente. E também têm a opção de desistirem do experimento a qualquer momento.

 

O mesmo modelo em um local diferente

 

Robin diz que está esperançosa de que o modelo de pesquisa da Pearson centrado no aluno seja tão bem sucedido em New Jersey, quanto tem sido no Arizona:.

 

“O feedback dos alunos é fundamental para o desenvolvimento contínuo de ferramentas de aprendizagem novas e eficazes. Como profissionais, pode ser que saibamos o que deve conter em um produto sob o ponto de vista pedagógico e podemos especular o que será atraente e interessante para as crianças… mas prefirimos apenas perguntar-lhes diretamente e vê-las utilizando os produtos”, diz ela.

 

Para a Pearson, Robin diz que a abordagem funciona bem.

 

“Aprendemos que as crianças podem ser objetivas e analíticas e também podem ser crianças e nos dizer honestamente o que pensam. Nós as colocamos no centro daquilo que fazemos e as tratamos com o respeito que merecem – pois elas também têm ideias incríveis”.

 

A grande inauguração

 

O laboratório de pesquisa de Hoboken agora está completo, diz Robin: “Sinto-me como se estivesse em um ‘Campo dos sonhos’ e ele está pronto; agora o meu trabalho é fazer com os alunos venham”.

Receba nossa News

A Educação é feita da união de conhecimentos. Preencha seu e-mail e receba nossos conteúdos atualizados!

*Não lote sua caixa de e-mail. Nossas newsletters são enviadas quinzenalmente e trazem um resumo dos melhores conteúdos publicados.