Pesquisa sobre o Perfil e a Atuação de Professores

por: Miguel Damasco

O Ministério da Educação (MEC), desde 2004, autoriza a oferta de disciplinas semipresenciais em cursos de graduação presenciais, até o limite de 20%, desde que utilizem os novos recursos tecnológicos e comunicacionais. Assim, instituições de ensino superior (IES) começaram a oferecer disciplinas semipresenciais nos seus cursos, conforme a citada portaria.

 

Entre elas, está a Associação Educacional Dom Bosco (AEDB), instituição privada com 54 anos de existência, localizada em Resende – RJ, que oferece 22 cursos de graduação, todos presenciais. O seu Núcleo de Ensino à Distância (NEAD) resolveu realizar uma pesquisa junto aos seus docentes para verificar possíveis correções de rumo necessárias.

 

A pesquisa aplicada foi do tipo Survey, de forma descritiva e com abordagem quantitativa. O objetivo geral foi verificar as formas de atuação dos docentes nas disciplinas on-line em cursos presenciais da instituição. Os objetivos específicos foram conhecer a formação dos docentes para a EaD e analisar o andamento dessas disciplinas.

 

Participei do projeto, tanto na preparação da pesquisa junto ao NEAD, como na tabulação das respostas, por estar interessado nos resultados, objetivando sua apresentação no congresso de EaD. Isso porque já havia realizado uma pesquisa junto aos alunos, nos mesmos moldes, e gostaria de comparar os resultados obtidos.

 

Dos 22 docentes atuando em disciplinas semipresenciais, 12 responderam à pesquisa, correspondendo a 54,6% do total. Esses professores atuam nos seguintes cursos: Pedagogia, Letras, Administração, Sistemas de Informação, Tecnologia em Logística, Engenharia de Produção e Gestão da Produção Industrial.

 

O perfil médio do professor-tutor foi o seguinte: mais de 40 anos, tempo de magistério entre 10 e 20 anos, com pós-graduação stricto sensu, atua em EaD cerca de seis anos, o que lhe confere experiência na área educacional.

 

Todos docentes já estudaram a distância como alunos, porém quatro deles apenas frequentaram, de forma on-line, o treinamento e a capacitação no ambiente Moodle. Quanto aos demais cursos necessários, verificamos que a formação para EaD está incompleta. Em alguns casos, podemos citar a falta de: especialização, formação em tutoria e em conteudista.

 

Notamos pouca participação em eventos sobre EaD. Apenas 4 deles estiveram presentes ou de forma on-line. Nesses eventos existem trocas de experiências com professores de outras IES, além de verificar novas possibilidades para o ensino e aprendizagem. Quanto aos recursos do Moodle, são bastante utilizados o fórum, o questionário e o chat. Existem ferramentas que não foram nem citadas, como blog, wiki, entre outras.

 

Sobre as metodologias empregadas, merecem destaque as metodologias ativas e colaborativas, além dos estudos de caso. Também podemos citar a Flipped Classroom e o Peer Instruction nos encontros presenciais. Os professores empregam poucos recursos de games em suas disciplinas. Destacamos que somente quatro docentes possibilitam uma autoavaliação para que o aluno possa refletir sobre o seu desempenho em relação ao conteúdo estudado. Os professores não utilizam a interdisciplinaridade com outras disciplinas.

 

Como a meditação Mindfulness pode ajudar os professores?

 

Aprenda a programar sozinho: Especial para professores!

 

Inicialmente, verificamos que os professores possuem experiência na área educacional, mas sua formação para atuar em EaD está incompleta. A instituição deve incentivar a participação em cursos de especialização, além de proporcionar cursos de tutoria e conteudista.

 

Os professores devem ser incentivados a participarem em eventos de EaD, pois é mais uma forma de se manter atualizado, verificar como as demais IES estão atuando e possibilitar a geração de novas ideias para aplicação em suas disciplinas. Quanto a autoavaliação, poderia ser mais disponibilizada, pois proporciona mais segurança para o aluno em relação ao seu desempenho. A aplicação da interdisciplinaridade em EaD pode ser um fator importante para que o aluno tenha uma visão mais integrada e contextualizada dos seus conteúdos.

 

O Núcleo de EaD pode nivelar as disciplinas, motivando os docentes que ainda não empregam as metodologias ativas e colaborativas, a sala de aula invertida, o aprendizado pelos pares ou games. Também, alguns recursos do Moodle, tais como blog e wiki, que possibilitariam outras opções de interação e comunicação e trabalhos colaborativos em grupo.

 

A referida instituição ainda não havia realizado pesquisas com seus docentes sobre esse tema para que fosse feita uma comparação dos resultados. De maneira geral, a pesquisa atingiu os objetivos propostos, levantando questões acerca do andamento das disciplinas on-line que devem ser alvo de análises detalhadas.

 

Divulgamos amplamente os dados obtidos com a pesquisa para os coordenadores de cursos e seus professores, com o intuito de verificar as possíveis correções de rumo necessárias à melhoria do processo ensino e aprendizagem on-line, além de motivar os docentes para que busquem completar sua capacitação, o que vai pode contribuir de forma concreta no seu trabalho como educador.

 

Julgamos ser importante a realização de outras pesquisas por parte das instituições de ensino, cujos seus resultados possam servir de auxílio para todos os envolvidos nesse processo. Pelo exposto, este estudo espera ter contribuído para melhorar atuação dos professores e tutores em disciplinas semipresenciais.

 

 

Receba nossa News

A Educação é feita da união de conhecimentos. Preencha seu e-mail e receba nossos conteúdos atualizados!

*Não lote sua caixa de e-mail. Nossas newsletters são enviadas quinzenalmente e trazem um resumo dos melhores conteúdos publicados.